Seja um Fracassado

“Não ensino pessoas, eu as desperto.” – Robert Frost

O que você faria se fosse um jovem brasileiro residente nos Estados Unidos, brilhante cientista da computação com excelente emprego na área, premiado pelos seus colegas de trabalho por conta da sua excelência, orgulho da família brasileira e promessa de ir muito, muito longe no país norte-americano?

Gustavo Reis não pensou duas vezes: largou sua vida e carreira no exterior e voltou ao Brasil, disposto a assumir seu legado como professor de matemática no nosso país.

No evento Tedx Unisinos 2012, diante de uma plateia visivelmente encantada com a sabedoria e a simplicidade do jovem professor, Gustavo mostra que sua paixão por lecionar falou mais alto que sua promissora carreira como cientista da computação nos EUA. Falou mais alto que os muitos dólares que deixou de ganhar em um país mais generoso com os profissionais de sua área. Falou mais alto até que a frustração de sua família e amigos do Brasil, que concluíram em uníssono: “Gustavo fracassou”.

“As pessoas ficaram chocadas, perplexas. A primeira coisa que as pessoas disseram foi:   ‘Gustavo enlouqueceu! Gustavo vai trocar o sonho americano pelo trabalho com adolescentes inquietos, irreverentes, desinteressados, às vezes até indiferentes, o que é pior que ser desinteressado. Optou por uma profissão desprestigiada, que passa por uma crise de identidade terrível. Crise de autoridade, pior ainda. E, para completar, com aquele salário… que a gente sabe’.”

É necessário coragem para, em um país como o nosso, abdicar do status e da remuneração de uma profissão dita “tradicional” para abraçar outra, desprestigiada e que não prometerá nada além de falta de reconhecimento e dificuldade financeira.

Entretanto, qualquer dom é escasso e qualquer juventude, finita. Gustavo reconheceu que seu talento como professor de matemática seria enterrado na proporção do seu sucesso corporativo, e a cada ano de emprego de escritório, deixaria de ajudar muitos dos noventa por cento dos jovens brasileiros que não sabem matemática.

Com talento, trabalho e muita insistência, conseguiu se consolidar como professor. Fundou o portal Estude Matemática, e especializou-se em ensino pela internet. Beneficiou milhares de alunos, ajudando-os a vencer a muralha do vestibular e do ENEM.

Tenho certeza de que esses alunos agradecem o “fracasso” de Gustavo, e outros tantos ainda o farão ao longo das décadas de ensino que o separam da aposentadoria.

Arrependimento? Gustavo conclui que seu “fracasso” não é motivo para tal. Tamanha a convicção de que ser um generoso educador foi o melhor caminho a ser trilhado que, segundo a fórmula matemática por ele inventada, o arrependimento e amargura tenderiam a zero ao cabo de sua carreira.